• COLESTEROL

O colesterol é uma molécula que o ser humano precisa para o organismo funcionar corretamente. Ele é usado na fabricação de alguns hormônios e é um importante componente das paredes celulares, mas seu excesso no sangue pode aumentar o risco de doença cardiovascular.

O colesterol é uma molécula que o ser humano precisa para o organismo funcionar corretamente. Ele é usado na fabricação de alguns hormônios e é um importante componente das paredes celulares, mas seu excesso no sangue pode aumentar o risco de doença cardiovascular.

  • PRODUÇÃO

   A maior parte do colesterol é fabricado pelo fígado. Apenas uma pequena parte vem da nossa dieta. A corrente sanguínea transporta o colesterol do fígado para os outros órgãos e tecidos do corpo.

Como as gorduras, o colesterol não se dissolve na água (ou no sangue), e o organismo precisa de um sistema especial para transportá-lo. O colesterol fabricado no fígado é conjugado a proteínas. Assim eles podem ser transportados pela corrente sanguínea. Estas partículas são chamadas de "lipoproteínas". Existem dois principais tipos de lipoproteínas, que diferem pela densidade que são produzidas

  • CLASSIFICAÇÕES DO COLESTEROL

   Colesterol “ LDL ” significa “lipoproteína de baixa densidade ”. Este tipo de partícula transporta o colesterol do fígado para o resto do corpo. Altos níveis de colesterol LDL estão associados a um maior risco de doença cardiovascular, e é por isso que às vezes é chamado de colesterol "ruim".

Colesterol:" HDL " significa" lipoproteína de alta densidade ". Este tipo de partícula transporta o colesterol de volta para o fígado a partir dos órgãos e tecidos do corpo. Como os altos níveis de colesterol HDL estão associados a um menor risco de doença cardiovascular, às vezes é chamado de colesterol “bom”.

  • DOENÇAS CARDIOVASCULARES

   Níveis elevados de colesterol aumentam o risco de doenças cardiovasculares. Nos últimos anos as novas pesquisas mudaram a compreensão de como o colesterol LDL aumenta o risco de doenças cardiovasculares. O conceito anterior era que o excesso de colesterol simplesmente se acumulava nas paredes dos vasos sanguíneos. Mas essa constatação foi descartada. Dependendo da idade e estilo de vida, a maioria das pessoas tem pequenas inflamações nas paredes dos vasos sanguíneos,.que podem se desenvolver de diferentes maneiras. Em pessoas que têm colesterol LDL alto, os fagócitos (células de limpeza do sangue) “comem” mais partículas de colesterol. Isso favorece a fixação do colesterol nas paredes dos vasos sanguíneos afetados. Inflamações também podem enfraquecer a parede do vaso sanguíneo, que podem então levar a camada mais interna (endotélio) a “rasgar”. Quando o sangue entra em contato com os depósitos ricos em colesterol que estão logo abaixo do endotélio danificado, abruptamente forma-se um coágulo, pois o organismo tenta tampar a lesão da parede do vaso sanguíneo, assim como quando as crostas se formam quando temos um corte na pele.

 

   Um grande coágulo pode bloquear completamente o vaso sanguíneo, causando um infarto cardíaco ou derrame cerebral. Mas a maioria dos coágulos que se formam são pequenos - eles consertam os danos na parede dos vasos sanguíneos e não têm nenhuma consequência imediata. Esse processo evolui para cicatrização e calcificação da parede do vaso sanguíneo, que pode gradualmente torná-lo mais estreito sem bloqueá-lo completamente. A sua parede torna-se mais espessa e rígida. O termo médico para o endurecimento das paredes dos vasos sanguíneos é a arteriosclerose.

  • ARTERIOSCLEROSE E POSSÍVEIS DOENÇAS 

 

   O processo inflamatório pode se desenvolver em qualquer artéria do corpo, mas é particularmente perigoso nas grandes artérias que levam sangue ao cérebro e ao coração. Vasos sanguíneos estreitos podem causar dor no peito (angina peitoral) durante o esforço físico. Quando um vaso sanguíneo do coração fica bloqueado, o sangue não flui mais para parte do músculo cardíaco, o que pode resultar em um enfarto. Quando um vaso sanguíneo no cérebro fica bloqueado, resulta num derrame.

Existem muitos rumores e afirmações sobre o que fazer quando o colesterol está alto, e muitos tratamentos estão disponíveis. Mas apenas alguns deles foram comprovados de forma confiável para prevenir sérios problemas de saúde, como ataques cardíacos, e aumentar a expectativa de vida.

  • DIETA E ATIVIDADE FÍSICA

   Alimentação saudável e atividade física segura são fatores amplamente comprovados para combater o excesso de colesterol e doenças cardiovasculares. Porem numa significativa parte da população o problema principal está no descontrole na produção do colesterol pelo fígado, além de defeitos em algum ponto do processo de produção ou “eliminação” do colesterol. Nesses casos, muitas vezes a dieta saudável e atividade física adequada não são suficientes para normalizar as taxas do colesterol, e é necessário usarmos medicamentos para este fim. Hoje dispomos de vários medicamentos eficientes e seguros, que agem em diferentes etapas do processo de metabolismo do colesterol.

Um outro conceito, mais atual, é que o valor adequado dos níveis de colesterol é diferente para cada pessoa. Levando em consideração fatores com idade, sexo, doenças pré-existentes, nível de controle de tais doenças, valores do HDL, etc, é possível calcular o valor de LDL ideal exato para um determinado indivíduo, o que gera uma meta de LDL para ser atingida e mantida. Sendo assim, o planejamento terapêutico não medicamentoso ou associado a medicamentos é instituído, até que a meta seja atingida, e depois, para que ela seja mantida

 
 
 
 
 

DIREITOS RESERVADOS - DR. RODRIGO GOMES PEREIRA | ENDOCRINOLOGISTA E METABOLOGISTA | CLÍNICA AME 

© 2020

SITE EM CONSTRUÇÃO