DIREITOS RESERVADOS - DR. RODRIGO GOMES PEREIRA | ENDOCRINOLOGISTA E METABOLOGISTA | CLÍNICA AME 

© 2020

  • OBESIDADE

Como vemos, as taxas de obesidade e diabetes têm aumentado, mas a obesidade não está apenas ligada à diabetes. Existem outras doenças, como hipertensão, doenças cardíacas, colesterol alto, artrose precoçe e vários tipos de câncer que podem ser causados ​​por esta condição.

  •         O QUE E O IMC?

     A obesidade é uma doença crônica que afeta milhões de pessoas no mundo inteiro. Outros milhões são considerados portadores de sobrepeso. A distinção entre obesidade e sobrepeso é extraída do que é conhecido como índice de massa corporal (IMC). O IMC é o peso corporal em kg dividido pela estatura ao quadrado (em metros). Será sobrepeso se o número resultante for entre 25 e 29,9. Será obesidade se o IMC for 30 ou maior. Use esta calculadora de IMC fornecida pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia para descobrir seu IMC em https://www.endocrino.org.br/teste-seu-imc/

     Esta doença é uma preocupação séria de saúde pública. No Brasil o ministério da saúde informa que quase metade da população brasileira está acima do peso. Segundo o órgão, 42,7% da população estava acima do peso no ano de 2006. Em 2011, esse número passou para 48,5%. 

  •         A OBESIDADE PODE ACARRETAR MUITOS OUTROS PROBLEMAS GRAVES

     Ser obeso é um importante risco para a saúde. A obesidade causa muitos quadros de hipertensão arterial, elevação do colesterol, diabetes tipo 2, infartos do coração, derrames cerebrais, cálculos biliares, apneia do sono e problemas respiratórios. É possível desenvolver esses problemas de saúde sem ser obeso, mas a obesidade aumenta dramaticamente a probabilidade de isso ocorrer. Muitas dessas condições podem levar à incapacidades físicas, ou mesmo à morte.

  •          HÁBITOS QUE AJUDAM NO CONTROLE E PREVENÇÃO

     A luta contra a obesidade não tem restrição de idade. Como nos adultos, há muitas maneiras para as crianças evitarem o excesso de peso. Algumas ferramentas podem ser muito úteis no combate a obesidade, como: aumentar atividade física, corrigir a alimentação, promover mudança de hábitos de vida e modos de recreação, melhorar as rotinas da casa e promover o envolvimento da família.

     Quando não há motivação para combater a obesidade por si mesmo, pode ser obtida uma motivação extra pelos filhos e vice-versa, e todos obterão os benefícios. O ideal é que os pais se tornassem um modelo 

para seus filhos. As crianças olham para seus pais, e se eles colocarem ênfase na vida saudável, ela transcenderá para seus filhos. É bom que se promova a participação dos filhos em esportes formais e encontrar uma atividade física que eles gostem e se envolvam. Isso reduzirá drasticamente a probabilidade de se tornarem obesas.

Outro aspecto fundamental é cozinhar de forma saudável. As refeições caseiras são geralmente mais saudáveis do que as encontradas fora de casa. Fast food pode ser atraente porque é barata e fácil, mas é realmente insalubre. A substituição de ingredientes também é importante.

     O cuidado com a televisão é importante para os adultos mas é maior para as crianças. Limitar o uso pessoal da TV e monitorar seu uso pelas crianças é ponto fundamental e não deveria ultrapassar mais de duas horas por dia. Além disso, seria prudente evitar que a criança tenha sua própria televisão. Estudos demonstraram que crianças com TV nos seus quartos são muito mais propensas a se tornarem obesas.

     A conscientização e a reflexão direcionada e consciente são algumas das melhores armas para combater a obesidade. Devemos divulgar conceitos que recebemos, sempre com o cuidado de checar a fonte. Informar aos amigos e familiares sobre os perigos da obesidade e orientá-los a buscar informação e aconselhamento profissional é um pequeno passo no longo caminho para o controle da obesidade.

  •           MEDICAÇÃO E CIRURGIAS

     É importante levar em conta que muitos casos precisarão usar algum tipo de medicação auxiliar no emagrecimento. Existem vários remédios disponíveis para esta finalidade no mercado, cada um com mecanismo de ação diferente. Cada caso precisa ser analisado individualmente para saber se haverá a necessidade do uso dessas medicações, qual o tipo, a dose, o esquema de uso, a duração, e até mesmo a combinação que poderá ser realizada se necessária.

     Como todo remédio, há que se ter conhecimento profundo dos riscos, efeitos colaterais e contraindicações para que nenhum deles sejam receitados de forma inapropriada, podendo gerar prejuízo a saúde. O uso de remédios legalizados, cientificamente estudados e validados, reconhecidos e registrados pelas agências reguladoras, são lícitos, importantes e necessários em boa parte dos casos. Porém é preciso ter muita atenção e cuidado, pois sempre existiu o uso indiscriminado destes medicamentos, em doses inapropriadas, associações contraindicadas, e combinações com outros remédios que sequer fazem parte do arsenal terapêutico anti-obesidade oficial e regulamentado, o que gerou e tem gerado risco a integridade da saúde de quem os usa. Muitas vezes são receitados por médicos que não são especialistas e não possuem o preparo e o conhecimento adequado para lidar com este grupo de medicamentos, o que pode trazer danos ao paciente. Maiores informações sobre este tipo de tratamento podem ser obtidas em http://www.abeso.org.br/

     Da mesma forma como existem casos que chegam a precisar do uso de medicamentos, respeitados os devidos critérios, existem casos tão severos que precisarão ser submetidos a cirurgias especiais para redução de peso, chamadas cirurgias bariátricas. Suas indicações, riscos e benefícios também seguem padrões científicos usados para definir quando alguém já não consegue ter a situação resolvida com os demais métodos terapêuticos e se enquadra na classificação do grupo que terá benefício real com este tipo de tratamento. A cirurgia bariátrica também possui diversas modalidades, critérios de indicação e procedimentos pré e pós-operatórios de acompanhamento e prosseguimento do tratamento, pois não se trata de um meio de cura, necessitando de condutas a serem implementadas após a cirurgia e mantidas pelo resto da vida. Como qualquer outro procedimento, se for indicada de forma equivocada e não atender a todos estes requisitos de segurança e benefício, colocará a integridade da saúde do paciente em risco, podendo levar a complicações fatais.

Maiores informações sobre este tipo de tratamento podem ser obtidas em https://www.sbcbm.org.br/

A combinação desses esforços será uma grande ajuda para levar a um estilo de vida saudável. Concentrar-se nestes pontos beneficiará não só a própria saúde, mas a de toda a família. Com os grandes riscos que a obesidade apresenta para uma vida saudável, devemos fazer tudo que pudermos para combatê-la e vivermos melhor.

 
 
 
 
share.png

SITE EM CONSTRUÇÃO